Banco de Pele Humana

BANCO DE PELE HUMANA (BPH)

 

O Banco de Pele Humana (BPH), do Hospital Universitário Evangélico de Curitiba teve seu projeto iniciado em 2009. Após anos angariando recursos junto ao COMTIBA, à comunidade através do voluntariado desta instituição e através de doações de colaboradores anônimos, em junho de 2013 foi autorizado o funcionamento do Banco de Pele Humana com o objetivo de ampliar a disponibilidade de pele para o tratamento dos pacientes queimados de todo o Brasil.

O Banco de Pele, regulado pelo Sistema Nacional de Transplante, capta, processa, armazena e distribui pele humana que pode ser utilizada em transplantes na recuperação de queimaduras graves. O Banco de Pele no EVANGÉLICO significa qualidade e rapidez no tratamento, pois o transplante de pele pode ser decisivo para a sobrevivência do queimado grave. Quando transplantada, a pele funciona como um curativo biológico, diminui as complicações, o tempo de internamento, o uso de antibióticos, o sofrimento do paciente e de seus familiares, e o risco de morte.

 

Principais benefícios do Banco de Pele Humana:

  • Maior sobrevida e menor risco de contaminação: a pele funciona como uma barreira protegendo contra infecções. Pacientes com queimaduras de 3º grau perdem as defesas e ficam expostos a vírus, fungos e bactérias.
  • Menos sofrimento: o paciente terá de passar por menos cirurgias.
  • Menos gastos com o tratamento: com a redução do tempo de internação e economia com antibióticos as despesas com o tratamento ficam menores.
  • Menor tempo de internação: com o Banco de Pele Humana é possível fazer enxertos precoces.

 

Como funciona a doação de pele?

A Doação de Pele segue os critérios estabelecidos pelo Sistema Nacional de Transplantes e tem o mesmo processo da doação de órgãos, porém estabelece-se que os doadores devem ter entre 14 e 60 anos. As camadas mais superficiais da pele são retiradas cirurgicamente, tratadas e transplantadas. Geralmente é retirada uma camada superficial da pele das coxas e das costas e não há nenhum tipo de consequência na aparência do doador, a aparência é como a pele que descasca por uma queimadura solar.

Após retirada, a pele inicia um processo que dura em média 40 dias. Durante este tempo, ela é submetida a vários testes para descartar contaminações. Uma vez preparado, o material congelado pode ficar no banco por até dois anos.

O Banco funcionará 24 horas. Um médico e uma enfermeira realizarão a captação a partir do contato da central regional de transplantes do Paraná.

 

“Para ser um doador, avise sua família”.

 

Banco de Pele Humana

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

(41) 3240-5000